Search
Close this search box.

Mais de 1 milhão de pessoas já assistiram “Som da Liberdade” no Brasil

Após 10 dias da estreia no Brasil, o filme “Som da Liberdade” alcançou mais de 1 milhão de espectadores curiosos por conhecerem a história real de Tim Ballard (interpretado por Jim Caviezel), um ex-agente especial que decide resgatar crianças vítimas de tráfico infantil. Som da Liberdade traz um alerta sobre o problema que o mundo enfrenta da pedofilia, pornografia infantil e tráfico humano. Na Colômbia, Ballard decide deixar seu cargo no Governo Americano para seguir em busca dos criminosos, em uma jornada que agora se tornou pessoal. ‘Cuidem das crianças’ “Um pacote de drogas só dá pra vender uma vez, mas uma criança, é vendida 10 vezes por dia. Meu coração chora só de pensar que neste momento tem uma criança sendo roubada para este fim”, comenta a jornalista Isabela Tacaki. E continua: “O filme grita pro mundo essas atrocidades. É um filme difícil, porém necessário. É assim que os movimentos começam a acontecer. Então, vá ao cinema. E cuidem das nossas crianças!”. Apesar de todas as polêmicas criadas em volta da produção do filme e sua distribuição, milhares de pessoas que compareceram ao cinema e compreenderam a gravidade do tema, se sentiram impulsionadas a participar da ação de crowdfunding (criada pela Angel Studios), doando dinheiro para que pessoas sem condições financeiras pudessem adquirir seus ingressos de forma gratuita e conhecerem a temática, informam os divulgadores. Campanha ‘vá ao cinema’ Uma forte campanha tem sido veiculada nas mídias sociais para incentivar mais espectadores: “vá ao cinema e compre o ingresso para que outra pessoa vá gratuitamente”. Brasileiros de todos os estados estão se mobilizando para que o máximo de pessoas compareçam ao cinema para conhecer a história e criar iniciativas em prol da proteção das crianças. “Você precisa vir assistir a este filme. Como igreja temos responsabilidade de ser luz onde há trevas. Existem muitos lugares onde não queremos entrar, mas precisamos. Assista Som da Liberdade e se envolva nessa causa”, comentou o Franz Figueroa Professor universitário.

Após uma semana de estreia, “Som da Liberdade” ultrapassa expectativa no Brasil

O mais novo sucesso de bilheteria cristão “Som da Liberdade” está ultrapassando recordes e ganhando espaço nas mídias e conversas do público ao redor do mundo. No Brasil, o filme estreou na última quinta-feira (21). Segundo o site oficial, os produtores tinham uma meta de 2 milhões de espectadores no país. No entanto, até o momento, mais de 22 milhões de pessoas já assistiram o filme nos cinemas, o que supera em 1115% a meta colocada. O longa conta a história real de Tim Ballard, um ex-agente federal dos Estados Unidos que largou a carreira para se dedicar ao resgate de crianças sequestradas pelo tráfico sexual. Jim Caviezel, o ator cristão que interpretou Jesus em “A Paixão de Cristo”, atua no papel de Tim, que combate crimes infantis há 12 anos e está começando a perder a esperança, até que resgata um menino traficado de 7 anos. O garoto pede a Tim que também salve sua irmã, que foi sequestrada junto com ele por traficantes. Assim, começa a missão de vida do agente: resgatar crianças do tráfico sexual pelo mundo. O diretor de “Som da Liberdade”, Alejandro Monteverde, e alguns integrantes da produção estiveram no Brasil para divulgar o filme cristão e participar das pré-estreias no Rio e em São Paulo, na última semana. Cenas do filme Em entrevista ao Guiame, Alejandro falou que se sentiu chamado para levar a história à tela do cinema e promover a discussão sobre o problema do tráfico sexual infantil. Quando eu estava escrevendo o roteiro, eu não pensei que isso fosse uma realidade. Então, eu estava explorando esse universo para entender se de fato essa escuridão é mesmo real, e quando eu conheci algumas das vítimas reais, eu senti que era só a ponta do iceberg. A escuridão, na verdade, é muito maior do que o filme revela”, disse ele. 

“Som da Liberdade” alcança 1° lugar nos cinemas do Brasil

O filme cristão “Som da Liberdade” estreou na última quinta-feira (21) nos cinemas em todo o Brasil e já alcançou o 1° lugar de bilheteria. O filme conta a história real de Tim Ballard, um ex-agente federal dos Estados Unidos que largou a carreira para se dedicar ao resgate de crianças sequestradas pelo tráfico sexual. O diretor de “Som da Liberdade”, Alejandro Monteverde, e alguns integrantes da produção estiveram no Brasil para divulgar o filme cristão e participar das pré-estreias no Rio e em São Paulo, nesta semana. Em entrevista ao Guiame, Alejandro falou que se sentiu chamado para levar a história à tela do cinema e promover a discussão sobre o problema do tráfico sexual infantil. A produção conquistou reconhecimento internacional ao narrar a história da desarticulação de uma rede de pedofilia. Nos EUA, o filme cristã assumiu o topo das bilheterias. Em seu primeiro dia nos cinemas, o filme superou “Indiana Jones e o Mostrador do Destino” da Disney. O filme Jim Caviezel, o ator cristão que interpretou Jesus em “A Paixão de Cristo”, atua no papel de Tim, que combate crimes infantis há 12 anos e está começando a perder a esperança, até que resgata um menino traficado de 7 anos. O garoto pede a Tim que também salve sua irmã, que foi sequestrada junto com ele por traficantes. Assim, começa a missão de vida do agente: resgatar crianças do tráfico sexual pelo mundo. Assista ao trailer:

“Não leve sua filha para assistir Barbie”, alerta guia de filmes cristãos

Na última segunda-feira (10) a equipe do Movieguide (guia familiar de filmes nos Estados Unidos) alertou os pais para que não levem suas filhas para assistir o filme Barbie, que estreará dia 20 de julho nos cinemas do Brasil. Segundo a organização, o longa foi produzido para “adultos nostálgicos e promove histórias de personagens lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros”. Os filmes da Barbie costumavam ter um público definido de famílias e crianças, porém, o atual parece não seguir o mesmo padrão. “Eles tinham um mercado e um público integrados para essa franquia que ignoraram completamente”, disse um membro da equipe do Movieguide. “Os 40 anos de pesquisa do Movieguide indicam que a Mattel [companhia estadunidense de brinquedos] cometeu um erro grave”, acrescentou ele. E continuou: “As famílias precisam saber o quanto isso é ruim. Além de ser uma oportunidade de negócios perdida para uma marca amada, o filme em si é mal feito”. Elementos LGBT no filme Com a data de estreia chegando, muitos anúncios são vistos na mídia sobre a Barbie e o Ken, interpretados pelos atores Margot Robbie e Ryan Gosling. Porém, pouco se sabe sobre os bonecos da “Barbie’s Dream Land” (“Terra dos Sonhos da Barbie”) que trazem a representação queer. A diretora do filme, Greta Gerwig, afirmou que não poderiam contar essa história sem trazer a comunidade LGBT. Hari Nef e Scott Evans — atores abertamente LGBTs — falaram sobre seus personagens em entrevistas para a revista “Out Magazine”. “Barbies são Barbies, não são mulheres humanas. Elas são bonecas. Não têm genitália”, disse Hari, que interpreta a Doutora Barbie. Para Hari, o filme traz um “sentimento encorajador para mulheres trans”. Segundo o portal de notícias Buzzfeed, David Heyman, um dos produtores executivos do filme, não sabia que Hari era trans quando fez o primeiro teste. Em junho deste ano, o ator Scott Evans, que foi escalado como um dos bonecos Ken, participou de uma parada gay na cidade de Los Angeles. Scott é irmão do ator Chris Evans, que interpretou o Capitão América em muitos filmes da Marvel. Ele chegou a dublar “o primeiro boneco de ação do Capitão América”. Então, ele falou sobre a possibilidade de Chris retribuir o favor e dar voz a um boneco Ken: “Mas ele terá que ser gay, aparentemente. Mão no quadril o tempo todo”. Sobre o filme, Scott afirmou: “Você vai ver alguém passar por essa crise existencial para aprender sobre quem eles realmente são e por que eles são”. Decadência dos princípios familiares no cinema A Mattel distribuiu o filme pela Warner Bros, que não foi o único estúdio a ignorar seu público alvo. A Pixar e a Disney recentemente sofreram graves perdas com “Elemental”, que também promovia personagens LGBT e teve a abertura mais baixa de qualquer filme da Pixar de todos os tempos. De acordo com o Movieguide, esses estúdios têm melhor alcance quando fazem filmes que promovem valores pró-família e bíblicos. “Até mesmo os desenhos animados da Barbie promovem redenção, compaixão, trabalho em equipe, gentileza com estranhos, auto-sacrifício e muito mais. Os pais confiam na marca e é por isso que devem saber a verdade sobre o próximo filme”, escreveram eles no site da organização e informaram que a análise completa de Barbie estará disponível em breve.

Ator Jesse Metcalfe sobre sua fé: ‘Deus é o que falta na vida da maioria das pessoas’

O ator Jesse Metcalfe está estrelando o mais novo filme cristão “On a Wing and a Prayer”, (“Fé nas Alturas”) que estreou na Amazon Prime, na sexta-feira (7). Recentemente ele contou que está construindo uma “conexão muito mais forte” com sua fé conforme envelhece. “Tenho uma conexão muito mais forte com a minha fé à medida que envelheço. Não sei se é porque, com o tempo, a vida nos pressiona a olhar para algo maior do que os nossos problemas nesta terra”, explicou ele. E continuou: “Mas acredito que ter uma conexão espiritual com Deus é o que falta na vida da maioria das pessoas”. O longa, baseado em fatos reais, conta a história de um homem que precisa pousar um avião com segurança para salvar sua família depois que o piloto morre inesperadamente durante o voo. Para Jesse, interpretar um personagem em um filme com uma história verdadeira, exige “muito mais responsabilidade”. “Às vezes, a vida é mais estranha que a ficção. É uma história bastante notável”, disse ele. A mensagem por trás do filme O ator acredita que o drama mantém lições poderosas sobre redenção: “Também é sobre ter fé em si mesmo. Pessoas comuns podem fazer coisas extraordinárias quando a vida está em jogo”. De acordo com o Faithwire, o ator relatou que o gênero de filmes cristãos está prosperando e que a sociedade precisa de produções com conteúdo inspirador mais do que nunca. Jesse, que também atuou no filme “Deus Não Está Morto 2”, se abriu para a fé anos atrás quando tratava seu vício em bebidas alcoólicas. Para ele, “a fé é muito importante”. “Eu realmente descobri uma conexão com Deus como eu o entendo hoje, provavelmente cinco anos atrás, quando fiquei sóbrio através dos 12 passos de Alcoólicos Anônimos”, relembrou ele. O ator informou que compartilhar sua história pode ser uma fonte de inspiração para outras pessoas que também enfrentam obstáculos. “Acho que o público precisa ver que as pessoas que eles admiram e estão em posições de poder são honestas sobre os desafios que estão enfrentando. Acho que isso empodera os outros”, concluiu ele.

Ator de “A Paixão de Cristo” irá protagonizar novo filme cristão

Jim Caviezel, a estrela de “A Paixão de Cristo”, vai protagonizar um novo filme cristão, segundo o The Christian Post. “Sound of Freedom” (“Som da Liberdade”, em português) conta a história real de Tim Ballard, um ex-agente federal dos Estados Unidos que largou a carreira para se dedicar ao resgate de crianças sequestradas pelo tráfico sexual. O ator cristão, que interpretou Jesus em “A Paixão de Cristo”, vai atuar no papel de Tim, que combate crimes infantis há 12 anos e está começando a perder a esperança, até que resgata um menino traficado de 7 anos. O garoto pede a Caviezel que também salve sua irmã, que foi sequestrada junto com ele por traficantes. Assim, começa a missão de vida de Tim: resgatar crianças do tráfico sexual pelo mundo. Recentemente, “Sound of Freedom” foi adquirido pela Angel Studios, produtora de “The Chosen” e vai estrear nos cinemas no segundo semestre de 2023. O filme foi escrito e dirigido por Alejandro Monteverde e produzido por Eduardo Verástegui. Em entrevista ao The Christian Post, Eduardo contou que se sentiu chamado para levar a história do ex-agente ao cinema, após conhecer Tim e os horrores do tráfico infantil. “Estamos falando de milhões de crianças em todo o mundo sequestradas para sexo; essas crianças estão sendo estupradas 15 vezes por dia há muitos anos”, disse ele. “E quando os traficantes não querem mais, porque não são mais carne fresca — é assim que falam —, abrem e vendem os órgãos. Se isso não te comover, se isso não for suficiente para você acordar e fazer alguma coisa, acho que você está morto. Espero que este filme toque milhões de corações”. Nascido no México, Eduardo Verástegui trabalhou como cantor e ator até se sentir guiado pelo Senhor para produzir filmes cristãos. “Ou você usa os talentos que Deus lhe deu para servir a Ele e aos outros e tornar este mundo um lugar melhor, ou usa seus talentos de maneira egoísta, como eu fazia antes”, comentou. Assista ao trailer de “Sound of Freedom” (em inglês):

Atriz de “Pantera Negra” diz que Deus a tirou da depressão: ‘Ele me deu contentamento’

A estrela de “Pantera Negra”, Letitia Wright, revelou que Deus a resgatou da depressão, em uma entrevista recente ao The Guardian. Letitia, de 29 anos, conquistou fama em 2018, ao estrear no filme da Marvel ao lado do falecido Chadwick Boseman, que interpretou o herói Pantera Negra. Neste ano, ela estrelou como papel principal na continuação “Wakanda para Sempre”. Mas, a atriz de sucesso quase desistiu da carreira durante uma crise depressiva. Na época, Wright vivia um estilo de vida destrutivo, com festas e bebidas, procurando um sentido para sua alma. “Você sente que precisa de um emprego melhor, ou papel melhor, ou mais elogios, ou mais reconhecimento. E eu estava perseguindo isso. Eu estava perseguindo, perseguindo, perseguindo, mas me sentindo vazia”, confessou ela, ao The Guardian. Até que o ator cristão Malachi Kirby, de “Raízes” e “Black Mirror”, a convidou para ir a um estudo bíblico para atores. Malachi afirmou que Deus lhe disse para evangelizá-la. Letitia aceitou Jesus e sua fé a ajudou a superar suas dificuldades e a consertar sua vida. “[O cristianismo] me deu o centramento de que precisava, o bom fundamento de que precisava e me ajudou a colocar em perspectiva o que era importante para mim”, testemunhou a atriz. “Quanto mais eu orava, mais me sentia conectada e menos ansiosa. Deus tem um plano para minha vida”. Wright ainda contou que deixou a vida desregrada que levava porque encontrou contentamento no Senhor. “Perseguir algo não saudável não é o caminho que eu quero seguir. Se eu abandonasse tudo isso, ainda estaria feliz com minha fé, o contentamento que sinto e a conexão com Deus”, declarou. A protagonista de “Wakanda” lançou a produtora “Threesixteen”, o nome foi inspirado na passagem bíblica de João 3:16. GuiaMe

Ator de ‘Velozes e Furiosos’ irá atuar em filme cristão: “Oração respondida”

O ator Lucas Black, mais conhecido por seus papéis na franquia “Velozes e Furiosos”, fez uma pausa no mainstream de Hollywood há três anos e está atuando em um novo filme cristão — o que para ele é uma resposta de oração. Lucas Black é a estrela do filme “Legacy Peak”, transmitido exclusivamente na plataforma Pure Flix. Em 2019, Black encerrou sua atuação na série “NCIS: New Orleans”, exibida no Brasil pelos canais a cabo A&E e AXN, após 125 episódios. Ele revela que tomou a decisão “para passar mais tempo com a família” e se conectar com seu “Pai Celestial”. “Tinha muitos dias em que eu ia trabalhar e eles ainda estavam dormindo, e eu chegava em casa e eles já estavam na cama”, disse Lucas ao The Christian Post. “Nas três primeiras temporadas, eu estava trabalhando 70 horas por semana.” Ao longo da carreira, Lucas diz que percebeu que esta carga horária e as “tentações” que acompanham a indústria do entretenimento “podem ser realmente destrutivas para a vida das famílias e seu relacionamento com os outros.” “É preciso muita disciplina, muitas pessoas de Deus ao seu redor para prestar contas”, acrescentou. ‘Oramos pelo próximo passo’ Lucas decidiu se afastar de Hollywood e tirar um tempo para refletir. Ele revela que, junto com sua esposa, estava “orando para ver qual seria o próximo passo”. Suas orações foram respondidas quando ele conheceu o pastor Eric Ludy em uma convenção de homeschooling, em Houston, que o falou sobre o roteiro de “Legacy Peak”. O filme “Legacy Peak” conta a história de Jason, um homem que se esforça para que os filhos de sua namorada gostem dele. Quando a viagem para uma cabana na montanha dá errado, eles iniciam uma aventura que pode separá-los ou aproximá-los mais do que imaginam. “Sou super abençoado por fazer parte disso. Foi uma oração respondida, para mim e minha família, por ter algo assim. Deus orquestrou tudo”, disse o ator. História com Deus Lucas Black foi criado um lar cristão e frequentava a igreja todos os domingos, mas se afastou do Senhor aos 20 anos, quando tentava ser cristão enquanto trabalhava na indústria do entretenimento. “Eu realmente não tinha uma família espiritual forte ou homens de Deus com quem eu pudesse fazer um estudo bíblico, que eu pudesse realmente prestar contas”, ele afirma. No início de 2015, Lucas Black passou a ler a Bíblia de forma intencional e foi “convencido pelo Espírito Santo”. Ele acabou se envolvendo em uma igreja e um estudo bíblico para homens. “Foi realmente quando meu relacionamento com o Senhor foi para um nível totalmente novo. Todos os capítulos e livros sobre o Espírito Santo realmente falaram comigo”, testemunhou Black. “Ele é nosso advogado; Ele é nosso ajudador. Posso confiar Nele em momentos de dificuldade ou quando estou me sentindo sozinho e viajando. O Senhor está conosco onde quer que formos.” Entretenimento para famílias Filmes como “Legacy Peak”, que têm mensagens de fé e família, são o tipo de entretenimento que Lucas Black incentiva as pessoas a assistirem. “Há um ataque em nosso país neste momento aos valores cristãos, aos valores familiares”, disse ele. “Então, essa é a nossa maneira de lutar contra essa cultura.” Ele acrescentou: “Acho que precisamos realmente nos concentrar e ser intencionais sobre o que permitimos que seja visto em nossas casas para nossa família. Nós precisamos lutar por nossas famílias e nossos filhos, então precisamos ser intencionais sobre o que está passando pela tela da televisão, do computador e do celular.” A plataforma Pure Flix pode ser assinada através do site pureflix.com. O conteúdo está disponível em inglês. Confira o trailer (em inglês):

“Pessoas estão aceitando Jesus no cinema”, diz produtor do filme cristão ‘Lifemark’

Depois do lançamento de “Lifemark”, nesta semana, o ator e produtor Alex Kendrick expressou sua gratidão pelo sucesso do novo filme e revelou o impacto que ele tem causado no cinema, com algumas pessoas aceitando a Cristo. Kendrick conta que teve um ótimo retorno por parte dos telespectadores, conforme a Faithwire. “Estamos muito gratos pelo que está acontecendo e mal podemos esperar para ver o que mais Deus fará”, disse o diretor. Lifemark é uma produção pró-vida e bate de frente com a cultura do aborto, além de ressaltar a importância dos valores cristãos para a atual sociedade. Vale destacar que o filme chega em meio à luta para a derrubada da lei americana Roe v. Wade — que busca garantir o aborto sem restrições governamentais. ‘O filme foi lançado no momento certo’ Lifemark foi produzido pelo ator Kirk Cameron e pelos irmãos Kendrick. O filme conta uma história verídica que celebra o dom da vida. No enredo, David de 18 anos, tem seu mundo confortável lançado no caos quando sua mãe biológica surpreendentemente decide conhecê-lo. Cameron e os Kendricks adicionaram especificamente 10 minutos de conteúdo adicional ao final do filme com o objetivo de ajudar as pessoas a entender verdadeiramente o coração e o amor de Deus por Sua criação. “Apresentamos a base bíblica da vida e mostramos que Deus nos conhece mesmo no útero. E então passamos por uma apresentação do Evangelho no final”, disse Kendrick. “Estamos ouvindo testemunhos maravilhosos de pessoas dizendo: ‘Nosso grupo da igreja estava no cinema e vimos uma mulher sentada ao lado, chorando no final do filme. Nos aproximamos para conversar e ela compartilhou sua história conosco. Então, nós ministramos e oramos por ela. Falamos da salvação”, compartilhou. O produtor disse que fica encantado e agradecido por ouvir histórias como essa. Ele conta que era para o filme ser lançado em 2021, mas a pandemia atrasou a produção. No final, porém, o momento se alinhou perfeitamente com a derrubada de Roe [lei pró-aborto] e a discussão nacional elevada sobre proteger a vida e ajudar as mulheres em crise. Nova perspectiva sobre o tema “Não imaginávamos que isso aconteceria este ano. Estamos muito, muito gratos, e parece que a cultura está começando a olhar para esta questão novamente no nível do coração”, disse o diretor. “Quando você olha para o nível do coração, quando ouve histórias verdadeiras como essa, realmente há uma nova perspectiva sobre o tema”, continuou. Enquanto Kendrick expressou gratidão pela derrubada da lei Roe, ele também enfatizou a importância de os cristãos continuarem a agir para ajudar mulheres e crianças necessitadas. “É muito mais do que apenas uma questão política”, concluiu. GuiaMe  

Criadores de “The Chosen” anunciam novas produções para família em alternativa a Hollywood

O estúdio cinematográfico da série cristã The Chosen anunciou que investirá mais de 100 milhões de dólares em novas produções para a família, durante um evento de investidores na semana passada. O propósito da Angel Studios é ser uma alternativa a Hollywood, oferecendo conteúdos originais que “amplifiquem a luz” em um mundo cheio de escuridão. Segundo o CEO da Angel Studios, Neal Harmon, o investimento conta com doze produções, incluindo a 3ª temporada de The Chosen, desenhos animados para crianças e um stand-up de comédia livre de conteúdo impróprio. Descrevendo os novos projetos como “amplamente leves”, Harmon afirmou que as produções são “verdadeiras, honestas, nobres, justas, autênticas, amáveis, admiráveis, excelentes e dignas de elogios”, com inspiração em Filipenses 4:8. Os novos projetos serão financiados por meio de crowdfunding e empresas de capital de risco. De acordo com Harmon, mais de 50 mil pessoas investiram nas produções da Angel Studios.  “Estamos entusiasmados com o calibre do conteúdo que os investidores da Angel Studios selecionaram para crowdfunding este ano, validando nossa tese de que a multidão tomará decisões melhores do que alguns executivos”, declarou o CEO. Para Harmon, o impressionante sucesso de “The Chosen” revelou que as famílias estão sedentas por uma alternativa à Hollywood.  “A série certamente acelerou o que sempre quisemos fazer. Queríamos construir um estúdio alternativo para Hollywood. Aconteceu que ‘The Chosen’ foi um sucesso estrondoso e além do que esperávamos. E estamos muito gratos”, disse. O site do Angel Studios afirma que, ao contribuir, os espectadores podem “ajudar a tirar o controle criativo de Hollywood”. E um vídeo promocional diz que muitas produções hollywoodianas “não têm alma” e “deixam você vazio”. As doze nova produções divulgadas são: “Luso”, uma série sobre a fundação dos EUA, dirigida por David Henrie. “The Chosen”, terceira temporada, que deve ser lançada no final de 2022. “Tuttle Twins”, Temporada 2, que está em pré-produção. “Dry Bar Comedy”, Temporada 10, que está sendo filmado atualmente. “The Wingfeather Saga”, Temporada 1, que deve ser lançado em dezembro. “The Riot and the Dance”, segunda temporada, que está programada para ser lançada no final do verão/início do outono. “Jungle Beat” (cinco temporadas), que será lançado em 2022. “David”, um longa-metragem de animação sobre o rei Davi do Antigo Testamento, que está em pré-produção. “Pharma”, um projeto baseado na história real da Dra. Frances Kelsey. “The German King”, um projeto baseado na história real de Rudolf Duala Manga Bell. “Truth and Conviction”, uma série sobre resistências adolescentes na Alemanha nazista. “Testament”, uma releitura do livro de Atos, ambientado nos dias modernos.