24 de setembro de 2022
CULTURA

De olho nos cristãos, Globo fará novela com protagonista evangélica

Atenta ao aumento de evangélicos no Brasil, a TV Globo está preparando uma produção que atraia o público cristão, informou uma coluna do Splash UOL nesta quinta-feira (19).

O diretor da TV Globo e Afiliadas, Amauri Soares, reconheceu que o Brasil caminha para ser um país de maioria evangélica e deixou claro que a emissora acompanharia essa mudança, durante sua participação na Rio2C – Rio Criative Conference, em abril.

“Vai Na Fé” será a novela das sete e tem estreia prevista para novembro, segundo a coluna do Fefito. 

O UOL informa que a protagonista da novela será Solange, uma vendedora de marmita que é evangélica. Com o marido desempregado e as dívidas acumulando, ela acaba se tornando backing vocal de um cantor de funk, para ajudar a pagar as contas.

“Com isso, será discutida a maneira como ela concilia sua fé com o novo momento de vida”, diz a coluna. 

De acordo com a sinopse, Solange será mãe de duas adolescentes e também sustenta sua mãe. Ela é descrita como uma “mulher cristã, muito apegada à fé e aos ensinamentos do pastor”.

A trama é escrita por Rosane Svartman, autora de “Totalmente Demais”.

Globo quer conquistar evangélicos

O site Na Telinha informa que entrou em contato com uma pessoa que leu a sinopse da novela. Ela revelou que haverá uma mudança de perfil em relação ao estereótipo evangélico mostrado pela novela “Duas Caras”, de Aguinaldo Silva, em 2008. 

“Nada de evangélicos expulsando demônios no meio da rua ou tendo premonições, nem muito menos charlatões. Dessa vez, a trama irá mostrar que os protestantes brasileiros estão em toda parte da sociedade e a religião virou uma espécie de catolicismo contemporâneo, e não é um impeditivo ou fator para dar medo em alguém”, diz o site.

Depois de consultar um produtor da Globo, o Na Telinha reportou ainda que a diretoria da emissora viu a necessidade de alcançar os evangélicos, que migraram para as novelas bíblicas da Record.

A emissora também pretende romper a resistência com a audiência cristã e mudar a narrativa de que “as novelas da Globo são contra a família”.